quarta-feira, 24 de agosto de 2016

Sampa - um pouco mais de Lina Bo Bardi

Oi gente!!

O MASP é um dos cartões postais de Sampa e é uma das mais importantes instituições culturais brasileiras, fica na famosíssima Av. Paulista, se destacando pelo enorme vão de 70m flutuando entre barras vermelhas. Não só pela arquitetura vale a visita, mas pelo acervo permanente apresentado nos cavaletes de vidro. E, pra quem gosta, terminar o passeio tomando um café na Starbucks que fica bem na frente!

O Sesc Pompéia não fica próximo do MASP mas preferi falar dos dois juntos pra fechar o conjunto de obras da Lina Bo Bardi que visitei. A Lina já disse publicamente que seus projetos não foram feitos para serem bonitos, e sim para serem funcionais. É exatamente o que acontece com esse Sesc (não que eu ache feio), localizado numa velha fábrica de tambores de 1938, ela que transformou os galpões industriais em centros de cultura e conciliou o existente com novos volumes arquitetônicos brutalistas em concreto aparente. 

O roteiro da viagem é ESTE : o que está em azul é o que fizemos durante a viagem e em verde são as coisas que eu ainda quero conhecer! Se alguém tiver alguma dica de programa imperdível pra fazer, me deixa aqui nos comentários (;

Grande vão para o Parque Siqueira Campos

terça-feira, 23 de agosto de 2016

Galeria Luciana Brito - Residência Castor Delgado Perez

Oi gente!!

Esse é um post pra quem é da área ou gosta de arquitetura/artes, porque essa residência não é um destino muito turístico, inclusive poucas pessoas conhecem. 

A casa modernista de Rino Levi, construída em 1959, com paisagismo de ninguém menos que Burle Marx, é tombada e localizada na Av. 9 de Julho no Jardim Europa, SP. Algo muito particular acontece quando entro em ambientes que integram o externo com o interno, principalmente quando há verde envolvido. Seu interior é rasgado por dois pátios cobertos com brises ortogonais, configurando jardins de inverno e uma iluminação linda, linda, linda... A amplitude dos ambientes se dá pela eliminação de ambientes transitórios, divisórias e corredores. Ela é incrível!
Deixo a explicação mais detalhada do projeto para ser vista aqui!

O arquiteto: Rino Levi é paulista, nasceu em 31/12/1901, estudou arquitetura em Milão e Roma e retornou ao Brasil em 1926, foi um dos expoentes do modernismos no Brasil, responsável por várias das primeiras obras no estilo, principalmente em São Paulo. Também foi o primeiro arquiteto a abrir um escritório voltado exclusivamente para projetos, em 1930.

Fotos da casa quando foi construída, acervo de Rino Levi

segunda-feira, 22 de agosto de 2016

FMLOA - Fundação Maria Luisa e Oscar Americano

Oioi gente!

Aproveitando a ida à Casa de Vidro não deixe de dar uma passada na Fundação Maria Luisa e Oscar Americano. Apesar de ser um lugar pouco conhecido, pelo menos pra nós de fora de SP, é um passeio incrível no meio de muito verde, chás e história brasileira. 

O roteiro da viagem é ESTE : o que está em azul é o que fizemos durante a viagem e em verde são as coisas que eu ainda quero conhecer! Se alguém tiver alguma dica de programa imperdível pra fazer, me deixa aqui nos comentários (;

 
Fachada principal da casa

domingo, 21 de agosto de 2016

Terra da Garoa - Casa e Instituto Lina Bo Bardi

Oi gente!!

Acreditam que eu nunca tinha ido para SP? Fui pro outro lado do mundo, conheci vários cafundós por aí, mas não tinha viajado 400 km pra uma das cidades brasileiras mais importantes pra arquitetura (entre outros N fatores). E foi graças a uma disciplina da faculdade que conheci a capital paulista, finalmente!

O roteiro da viagem é ESTE : o que está em azul é o que fizemos durante a viagem e em verde são as coisas que eu ainda quero conhecer! Se alguém tiver alguma dica de programa imperdível pra fazer, me deixa aqui nos comentários (; 
 
Desenho dos chãos de SP: A dona do desenho é Mithes Bernardes, de 1965 e reproduzido até hoje, único porém é que ela nunca ganhou nada com o trabalho! :c

quarta-feira, 27 de julho de 2016

As praias cariocas (e Niterói)


Essa última visita ao Rio coincidiu com o Carnaval, e apesar de não ter sido meu objetivo (e sim comemorar um ano de namoro com estilo!) aproveitamos muito esses 10 dias indo em alguns bloquinhos, nos pontos turísticos que eu ainda não conhecia, e nas praias! Ao contrário da primeira vez, curti bem mais horas no sol...

 
"Fantasias" de bloquinho

Copacabana -  o pai do Oliver mora há duas quadras da praia, então acabamos passando por ela quase todos os dias, mas ficar nela de fato, ficamos poucos dias. Copa é um bairro na Zona Sul, muito prestigiado e talvez o mais conhecido, vale a pena conhecer não apenas a praia e o famoso calçadão, mas também o entorno com ótimos restaurantes! Falei mais da princesinha do mar aqui!
 

 
Pra conseguir tirar uma foto em Copa em pleno carnaval vazia desse jeito, foram muitos dias arquitetados para estar ali quase no nascer do sol! :p

Arpoador - Entre Copa e Ipanema temos a pedra do Arpoador, que eu até então considerava como parte de Ipanema, mas na verdade tem uma pontinha de praia homônima. É uma praia com ondas grandes propícias para surf, e um local sensacional (e tradicional) para assistir o pôr do Sol atrás do Morro Dois Irmãos. Ali, cariocas e turistas se reúnem, assistem e aplaudem o espetáculo! 
 
Vista da praia para Ipanema
 
Pedra lotada
 
O por do Sol (dá pra ver o quão é lindo no vídeo do primeiro post no RJ!)

Ipanema -  Depois da Praia da Joatinga, esta foi minha praia preferida, não sei se foi por estar menos cheia, ou pela cor da água, ou pelas vistas... Mas de fato é mais badalada e sofisticada do que sua vizinha! Um passeio bacana é sair de Copa e ir andando ou de bike até a orla do Leblon, passando pelo Arpoador e Ipanema, alguns dizem que é longe e cansativo, mas ainda assim recomendo :D Mais fotos de Ipanema aqui!

Leblon- É conhecido por ter mais famosos, ser mais calmo, ter restaurantes mais caros e boates que amanhecem. Mas eu não achei nada demais lá, tanto que nem fotos tenho... 


 




Urca - Uma praia pequena, de 200m de extensão e fica no pé do Morro da Urca. É o local de encontro do Oceano Atlântico com a Baía de Guanabara, mas a água é imprópria para banho. Porém o bairro oferece diversas opções de programas desde a orla até por dentro. Uma coisa que fizemos é a trilha do morro da Urca, nível bem fácil, porém tem horários de abertura e fechamento, e tem a vista linda de um dos pontos do bondinho.
 
Vista de um mirante no Morro da Urca

Itacoatiara - Todas as praias do Rio são bacanas, famosas... e ficam lotadas de gente no verão, é difícil conseguir deitar e relaxar nessas praias, mas a vizinha Niterói tem uma praia delimitada por duas grandes pedras (com trilhas!!), cheia de vegetação nativa, num bairro residencial com muito mais casas do que prédios, o que alivia a visão como um todo, como se estivéssemos bem longe da cidade grande. As ondas de lá são bem fortes, é preciso tomar cuidado se o mar estiver bravo, mas caso contrário, é tão tranquilo que se torna muito favorável para skinboard, SUP e para boiar!


Piscina natural em cima das pedras

Nossa ideia era fazer a trilha da Pedra do Costão, que faz parte da Serra da Tiririca e tem uma visto do por do sol única. Não conseguimos, mas quem sabe numa próxima! As meninas do Viajadora fizeram e contam tudo em detalhes (e com fotos lindas) aqui
Mas aproveitamos para dar uma volta por Niterói e conheci finalmente o museu do Niemeyer! 


Oliver, Julia, eu, Gregory e Patrick

Close para quem ficou na dúvida se eu peguei muito ou pouco sol

 


2 grandes arquitetos nessa foto. 



Um beijo!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...