terça-feira, 24 de janeiro de 2017

Ilha da Magia

Finalmente, Floripa.
Passamos um final de semana em Florianópolis para ver a Exposição de Gaudí e aproveitamos para estender um pouquinho mais a estadia e conhecer melhor a ilha. Apesar de estar calorzinho, nosso passeio não deu praia, o que foi muito bom para ir atrás das outras atrações!

Uma coisa que é bom ter em mente quando se viaja pra lá é que tudo fica muito longe, talvez os ônibus não atendam onde você queira ir (apesar de eu não tido esse problema), quase não conseguimos Uber e as distâncias nos desencorajaram a pegar Táxi, então é legal já saber o que fazer na ilha e procurar se hospedar próximo (;
Nós ficamos próximos ao Centro Histórico e conseguimos ver tudo que tem desse lado, e que geralmente as pessoas não vão quando é a primeira vez na ilha ou quando se tem pouco tempo. 

Mercado Público e Camelódromo
É a principal atração do centro, e está sempre lotado. Eu adoro conhecer os Mercados Municipais das cidades pela comida local e como eu acho incrível esse tipo de construção, como se diferenciam tanto e marcam o local em que estão inseridos... E esse me surpreendeu por ter a praça de alimentação aberta, totalmente permeável e uma musiquinha rolando, como não querer almoçar ali? Mas chegue cedo, porque todo mundo tem a mesma ideia. O mercado não é tão grande, tem mais comida do que artesanato, mas tem também a Casa da Alfândega que fica do ladinho e cheio artesanato local, e as bugigangas ficam do outro lado, no Camelódromo.



O mercado foi construído em 1898 e só terminou em 1917 e conta com 140 boxes. É onde se encontra o melhor pescado fresco e os bares mais descontraídos!
A casa da alfandega abriga a galeria do artesanato, resgatando o artesanato por meio da comercialização; abriga cerca de 120 artesãos com suas habilidades genuínas, diferentes técnicas e ainda ver como algumas coisas são confeccionadas ali mesmo, na hora. A história de um povo também se conta de forma bordada, trançada, pintada e desenhada, mostra a referência e o registro da sabedoria popular.

Praça XV e figueira
A mais famosa árvore de Floripa é uma figueira centenária e eu, aloca das árvores não podia deixar de ir conhecer, né. Ela nasceu em 1871 e ficava plantada na frente da Igreja Matriz, mas foi transplantada em 1891 para a praça XV e está até hoje, na companhia de outras espécies lindas mais novinhas.



Diz a superstição que se contornar várias vezes a árvore, atrai fortuna e casamento... Não custa tentar, né? :D
O local não é muito bacana não, tem muito morador de rua, uma galera que fica te olhando e eu preferi não arriscar de ficar tirando muita foto dela, ou ficar olhando que nem boba pra cima (como costumo ficar em árvores assim), uma pena...

Mais fotos do centro:


Vista da Baía Norte, perto do centro




Lagoa
É uma região super badalada, com vida noturna animadíssima e diversas atividades ao ar livre como escunas, caiaques, stand up paddle, águas calmas, trilha do Canto da Lagoa que é quase totalmente plana e fácil,que margeia parte da lagoa e trechos da mata atlântica. Tem uma ótima localização por estar no centro da ilha, com muitos de lugares aconchegantes, hostels baratos, food trucks e boa gastronomia.







Foi o lugar que eu mais gostei da ilha, e quando voltar quero me hospedar por ali, vale a pena conhecer, além de ficar quase do lado da Praia da Joaquina e da Praia Mole.




Exposição do Gaudí
Desde que conheci Barcelona, sou alucinada pelo Gaudí, arquiteto espanhol de gosto e técnicas únicas no mundo. Aconteceu um circuito de exposições sobre algumas obras dele no Brasil, com partes em tamanho real, vídeos explicativos da técnica e a revolução da forma, e escolhemos Floripa pra ver, juntar o fato de não conhecer a cidade com a exposição!

 

 


Valeu a pena ter ido, mas achei pequena e sem muito contexto... Seria bacana falar sobre a história das obras e de mais obras importantes, porque tinha coisa que as pessoas passavam batido por nem saber do que se tratava. Foi uma palhinha pra voltar em 2032 pra ver a Catedral pronta :D



Para ver mais sobre Barcelona: meu post antigo aqui!

Mais fotos:








Projeto Tamar
 

Seria meu sonho?? Consegui encaixar uma ida rapidinha no Projeto Tamar, na Barra da Lagoa ao leste da ilha. Ele existe desde 2005 com o intuito de minimizar os efeitos predatórios sobre as Tartarugas Marinhas, além de conscientizar os moradores e visitantes sobre o tema. Se eu não me engano só tem 5 tartarugas permanentes na base, o restante só é mantido até sua recuperação e depois devolvida ao mar, e tem um evento pra isso onde os visitantes podem observar. Nessa base não tem nascimento de tartaruguinhas porque o clima não é propício para isso, é só nas bases do RJ pra cima, e a base principal fica na Bahia!


 



Tem 5 tanques para observação das bichinhas, um espaço para conhecer as espécies, vídeos, um mini museu sobre a anatomia das tartarugas, diversas placas informativas e maquetes, além da visita guiada e com algumas atrações, a gente viu a alimentação delas. 
Como a visita é rapidinha, ainda dá pra curtir a Barra da Lagoa no restante do dia (;




Nós adoramos! ♥

---
 PS: Minhas fotos são tiradas de uma Nikon P510 e algumas com o Moto X câmera de 13Mp, e a grande maioria não possui filtro nenhum. Sou fã de fotografia e gosto de ver os resultados como eles saem da máquina, aproveitando o máximo que ela pode me oferecer! 
PS 2: Agora divido, além dos meus dias, também minha máquina com o Oliver, que tira fotos incríveis e eu não posso deixar a parceria de fora!

quinta-feira, 25 de agosto de 2016

São Paulo - o que fazer


Finalizando minha viagenzinha pra SP com uma apanhado do melhor que fiz por lá ... Tem coisas que deu pra tirar foto, outras que passei tão rápido que não tem registro nenhum, mas ainda tem tanta coisa pra fazer que já estou programando fugir um final de semana, nem que seja só pra ir na Pinacoteca e no Eataly de novo, haha!

O roteiro da viagem é ESTE : o que está em azul é o que fizemos durante a viagem e em verde são as coisas que eu ainda quero conhecer! Se alguém tiver alguma dica de programa imperdível pra fazer, me deixa aqui nos comentários (;

quarta-feira, 24 de agosto de 2016

Sampa - um pouco mais de Lina Bo Bardi

Oi gente!!

O MASP é um dos cartões postais de Sampa e é uma das mais importantes instituições culturais brasileiras, fica na famosíssima Av. Paulista, se destacando pelo enorme vão de 70m flutuando entre barras vermelhas. Não só pela arquitetura vale a visita, mas pelo acervo permanente apresentado nos cavaletes de vidro. E, pra quem gosta, terminar o passeio tomando um café na Starbucks que fica bem na frente!

O Sesc Pompéia não fica próximo do MASP mas preferi falar dos dois juntos pra fechar o conjunto de obras da Lina Bo Bardi que visitei. A Lina já disse publicamente que seus projetos não foram feitos para serem bonitos, e sim para serem funcionais. É exatamente o que acontece com esse Sesc (não que eu ache feio), localizado numa velha fábrica de tambores de 1938, ela que transformou os galpões industriais em centros de cultura e conciliou o existente com novos volumes arquitetônicos brutalistas em concreto aparente. 

O roteiro da viagem é ESTE : o que está em azul é o que fizemos durante a viagem e em verde são as coisas que eu ainda quero conhecer! Se alguém tiver alguma dica de programa imperdível pra fazer, me deixa aqui nos comentários (;

Grande vão para o Parque Siqueira Campos

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...